Asfalto

Topo
Asfalto

Asfalto

Cinco novos murais pra conhecer em São Paulo

Sté Reis

20/10/2019 21h18

Os últimos meses foram de criatividade intensa nas ruas de São Paulo. Para começar, o #AquárioUrbano do Kleber Pagu e @Flipon começa a ganhar forma no coração do centro. Em 2020, o aquário ilustrado deve se tornar a maior obra de arte a céu aberto do mundo. Mas, com 5 de 15 empenas prontas, já é possível ver a diferença que fez no cenário.

O artista está documentando todo o processo, com depoimentos de moradores e trabalhadores que passam todos os dias pela República em uma série no Instagram. Ele explica que o projeto é um monumento à preservação do planeta, em um momento de alta poluição marinha, o protesto visual vem a calhar.

Em registro do @offlimitsbr de dia, da pra ver algumas das empenas prontas (Reprodução || Instagram)

Foto aérea do @soudroneiro mostra a arte vista de cima (Reprodução || Instagram)

Paralelo ao mural, rola a comemoração de 25 anos de carreira do artista urbano Zezão, famoso por grafitar águas em esgotos, muros, bocas de lobo e mostrar a contrastante realidade das poluição dos grandes rios que cruzam a capital. Para a celebração, ele também ganhou a sua primeira empena no centro, com cerca de 50 metros de altura. 

Empena de Zezão ficando pronta próximo ao Minhocão (foto de Chu Juke)

Uma das artes de Zezão em seu ambiente "tradicional" (Reprodução | @zezaosp)

De junho deste ano, Marcelo Barnero usou o seu "ilusionismo" para sumir com um prédio e transformar a empena de frente para a Igreja da Consolação em natureza.

Arte de Marcelo Barnero ao lado do prédio da Matilha Cultural, na rua Rego Freitas (Reprodução | @mbarnero)

Paulo Cesar Silva, também conhecido como Speto, pintou duas novas empenas no Minhocão. O multiartista e um dos precursores da arte urbana brasileira, começou ilustrando shapes de skate. Hoje, com incontáveis obras espalhadas pela cidade, trouxe mais uma arte de presente para o centro.

Dupla de empenas pintadas pelo grafiteiro Speto, no Minhocão (Reprodução || Instagram)

Detalhe da pintura de Speto em foto de @yanoficial

A segunda edição do 100 Minas na Rua de 2019 (publiquei sobre o projeto ano passado aqui), rolou em agosto e mudou toda a cara da Lapa de Baixo. Neste ano, foram mais de 400 inscritas para participar do evento. Mesmo não sendo vertical, o mural é uma exposição coletiva com obras de diversas artistas, entre elas a de Pri Barbosa que registra mulheres e o feminino em suas obras. 

Arte de Pri Barbosa na Rua das Cem Minas, na Lapa de Baixo (Reprodução | Instagram)

 Viu alguma arte bacana por aí? É só mandar

Sobre a autora

Nascida e criada na periferia de São Paulo, Sté Reis estudou Jornalismo na São Judas e desde então escreve sobre sua relação com as ruas da capital. Se especializou em cultura underground, música e feminismo, foi repórter em UOL Entretenimento e tem textos publicados no Zona Punk, Youpix, Brainstorm9, Deepbeep, Rolling Stone, MTV e Facebook Brasil. É assistente de conteúdo do DJ Marky, do rapper Projota, e compartilha seus achados no Malaguetas, há mais de dez anos no ar.

Sobre o blog

Histórias de quem ocupa a cidade e dicas de intervenções urbanas, música, cultura pop e esportes de rua para quem encara o asfalto de São Paulo e busca novas formas de viver a capital.

Asfalto