menu
Topo
Asfalto

Asfalto

Categorias

Histórico

Revelação do skate feminino tem 10 anos, usa asas e está pronta pra voar

Sté Reis

14/08/2018 15h12

Rayssa ficou famosa andando de skate vestida de fadinha (Divulgação / Instagram)

Há três anos, um vídeo da fadinha skatista Rayssa Leal viralizou e a colocou no mapa do skate mundial. Rodney Mullen, Daewon Song, Bob Burnquist, Tony Hawk, Mineirinho, Luan de Oliveira, Tiago Lemos e Leticia Bufoni são apenas alguns dos prós que acompanham a ascensão da atleta.

Se aos sete ela ficou conhecida como a maranhense prodígio que mandava muito no heelflip, aos 10, Rayssa é tricampeã brasileira na categoria infantil. No último domingo, 12, arrancou aplausos e gritos acalorados no OI STU Open (maior  campeonato de street da América Latina) que rolou na pista do Parque Chácara do Jockey.

"Hoje foi o melhor dia que já tive vivendo no mundo do skateboard, fiquei com a 4ª colocação, não consegui andar tão bem devido ter me machucado, mas estou muito feliz. Tive uma semana incrível", escreveu no Instagram, gerenciado pela mãe.

Rayssa nas eliminatórias do OI STU Open, em São Paulo (Divulgação / Instagram)

Além de uma criança se divertindo, Rayssa busca a profissionalização e mais visibilidade na cena. No campeonato, mesmo após uma lesão leve, ficou em terceiro nas semifinais e fechou em quarto, disputando com veteranas como Pamela Rosa (primeiro lugar na categoria e atleta olímpica).

"Na nossa vida mudou tudo, não trabalhamos mais fora de casa, cuidamos somente da carreira da Rayssa, viajando com ela pra campeonatos e trabalhos", conta a mãe, Lilian Mendes, em entrevista ao Asfalto. "O sonho dela agora é ser campeã mundial, sonha em chegar a disputar Xgames e Street League."

Com apoio de diversas marcas, entre elas a Nike SB, Rockstar Bearings (de Nova York), Autonomy Skateboard (Los Angeles), Rayssa ganhou bolsa integral em uma escola particular e contabiliza mais de 150k seguidores no Instagram, 70k no Facebook. No fone de ouvido, Anavitória, Projota, Charlie Brown Jr e Imagine Dragons.

Por aqui, deixo meu apoio à trajetória da pequena Rayssa, que já tem ousadia, atitude e resiliência o suficiente para ter uma carreira brilhante no skate. Separei algumas manobras incríveis da fadinha no último ano.

É olhar e aprender!

 

Rayssa começou a andar de skate aos seis anos (Divulgação / Instagram)

 

Rayssa pula o cavalete de ollie (Divulgação / Instagram)

 

B/S Flip Nosegrind na borda (Divulgação / Instagram)

 

Rayssa é tricampeã mirim e recentemente começou a correr na categoria feminina (Divulgação / Instagram)

Sobre a autora

Nascida e criada na periferia de São Paulo, Sté Reis estudou Jornalismo na São Judas e desde então escreve sobre sua relação com as ruas da capital. Se especializou em cultura underground, música e feminismo, foi repórter em UOL Entretenimento e tem textos publicados no Zona Punk, Youpix, Brainstorm9, Deepbeep, Rolling Stone, MTV e Facebook Brasil. É assistente de conteúdo do DJ Marky, do rapper Projota, e compartilha seus achados no Malaguetas, há mais de dez anos no ar.

Sobre o blog

Histórias de quem ocupa a cidade e dicas de intervenções urbanas, música, cultura pop e esportes de rua para quem encara o asfalto de São Paulo e busca novas formas de viver a capital.